top of page

Accor investe em capacitação em hotelaria e abre oportunidades para pessoas refugiadas

20/10/2023

Por Karine Wenzel


Alicia participou do curso e foi contratada. Foto ONU Mulheres /Paola Bello
Alicia participou do curso e foi contratada. Foto ONU Mulheres/Paola Bello

Diante dos impactos da pandemia de COVID-19 no setor hoteleiro, a Accor teve de adotar soluções criativas e inovadoras para lidar com a retomada do segmento e a carência de profissionais. Nesse contexto desafiador, a empresa decidiu retomar o projeto de inclusão de pessoas refugiadas em sua equipe.


"Começamos a desenvolver iniciativas e campanhas para diversificar nossas fontes de recrutamento e pensamos nas pessoas refugiadas, que estão buscando reconstruir suas vidas no Brasil. O emprego formal, com benefícios, é uma maneira de apoiá-las nesta jornada, embora muitas não tivessem experiência em hotelaria", explica Laís Fernanda de Souza, coordenadora de Diversidade e Inclusão da Accor.


Para preencher essa lacuna, a rede de hotéis iniciou um programa de capacitação em hotelaria para pessoas refugiadas e migrantes. Em julho de 2022, o Hotel Pergamon by Accor, em São Paulo, deu início à formação em parceria com a ONG Missão Paz, responsável por selecionar os participantes. A empresa ministra o curso e arca com os custos das refeições e do transporte.


“Na hotelaria, é comum termos uma alta rotatividade de funcionários, sempre com novos profissionais em treinamento. No entanto, esta iniciativa não visa apenas o lucro, temos um compromisso social. Sabemos que as pessoas refugiadas querem trabalhar, então oferecemos estabilidade e emprego. Para isso, criamos um treinamento rápido e direcionado”, complementa Renan de Sousa, gerente-geral do Pergamon e idealizador da capacitação.


Capacitação impacta o setor hoteleiro e enrique ambiente de trabalho


Os participantes passam por 12 horas de formação, abrangendo temas como hotelaria, impostos, legislação trabalhista e benefícios, além de receberem apoio na elaboração de currículos. Há ainda um módulo prático, com acompanhamento de um funcionário experiente na função. As vagas oferecidas são para camareiras/limpeza ou na área de alimentação. Quem demonstrar habilidades e interesse tem a oportunidade de passar por mais dias de teste, recebendo pagamento por diária. Como resultado, essa abordagem aumentou as chances de contratação, preparou os candidatos para trabalhar em outros hotéis (o currículo do candidato pode ser compartilhado com outras unidades da rede na região) e reduziu a rotatividade.


Capacitação em hotelaria tem parte teórica e prática. Foto: Accor
Capacitação em hotelaria tem parte teórica e prática. Foto: Accor

Laís enfatizou que os benefícios da capacitação e da contratação são evidentes em toda a rede. "Além da fluência em outros idiomas, que é crucial para a hotelaria, os profissionais refugiados trazem muitos benefícios para a equipe, enriquecendo o ambiente de trabalho com suas experiências sólidas e qualificações. Além disso, conseguimos ampliar o número de candidatos e impactar positivamente o setor de hotelaria como um todo."


“Esse foi meu primeiro contato com a hotelaria e foi incrível”


Desde 2022, a rede já contratou mais de 100 pessoas refugiadas e migrantes. Até o momento, só em São Paulo foram 110 pessoas treinadas e 34 contratadas, especialmente de Angola, Venezuela e Moçambique. A angolana Isabel Luanda fez parte da primeira turma. Ela conta que estava no Brasil com a filha pequena há 6 meses quando foi chamada para a capacitação. Do curso veio o primeiro emprego formal no Brasil. “Esse foi meu primeiro contato com a hotelaria e foi incrível, logo fui contratada pelo hotel. Eu me adaptei muito rápido na função, inclusive pelas pessoas que encontrei no meu caminho. Sou apaixonada pelos brasileiros, são pessoas muito calorosas”, resume.


A venezuelana Alicia também participou de uma das capacitações e elogiou o programa, que abrange não apenas a hotelaria, mas também tópicos como linguagem e habilidades de atendimento ao cliente. "Esta é a primeira empresa em que trabalho que realmente se dedica a explicar os detalhes de um contrato de trabalho, direitos, deveres e benefícios".


Ela conta que a contratação no hotel a impulsiona a ir atrás de seus sonhos e querer avançar na carreira. "Se você acredita sinceramente que é capaz de fazer algo, faça. Você pode alcançar qualquer coisa nesta vida, contanto que seja responsável e não prejudique os outros. Se você não o faz, quem mais o fará por você?", reflete.


Em 2022, a iniciativa teve reconhecimento global da Accor e Renan compartilhou a prática na sede da empresa na França. Além disso, as capacitações começaram a ser replicadas em outros locais, como Rio de Janeiro, e estão programadas em Boa Vista e Porto Alegre. Há ainda expectativas de implementação em outras regiões e até mesmo em outros países.


Comprometimento contínuo com a causa


A Accor desenvolveu ainda um guia de boas práticas para a contratação de pessoas refugiadas, apoiada pelo Fórum Empresas com Refugiados e pela ONU Mulheres, para capacitar gestores e recrutadores da empresa.


A companhia também demonstra seu compromisso contínuo com a causa e a diversidade, sendo integrante ativa do Fórum Empresas com Refugiados e signatária da Carta de Compromisso em prol do Empoderamento Econômico de Mulheres Refugiadas e Migrantes, da ONU Mulheres, Fundo de População da ONU (UNFPA) e ACNUR, por meio do programa conjunto Moverse.


Comentarios


bottom of page