Unidas apoia a formação de refugiadas e contrata venezuelanas para atuarem na locadora

Atualizado: Jun 30

Empresa é parceira do programa Empoderando Refugiadas e contribuiu para a interiorização de famílias para o Rio de Janeiro e Natal


Por: Yana Lima

Junho de 2021

Equipe da Unidas recepciona refugiada contratada para trabalhar em loja no Rio de Janeiro

Em 2018, a empresa de locação de veículos Unidas lançou o programa Novos Horizontes, que capacita e contrata jovens das comunidades periféricas em seu entorno. A iniciativa fez jus ao nome e abriu novas possibilidades para a empresa, que passou a olhar mais atentamente para pessoas que enfrentam dificuldades e preconceitos para se colocarem no mercado de trabalho. Em 2020, a Unidas se tornou signatária da Rede Brasil do Pacto Global da ONU e se engajou ao Empoderando Refugiadas. A sensibilização de gestores e equipes fez com que logo no primeiro ano de envolvimento a empresa apoiasse a capacitação de 62 mulheres refugiadas em Boa Vista, Roraima, e realizasse a contratação de duas profissionais.


“A adesão ao Pacto Global abriu muitas oportunidades para a Unidas. Não conhecíamos o Empoderando Refugiadas, mas havíamos desenhado uma edição do Novos Horizontes para este público. Como as agências da ONU já tinham essa expertise, abraçamos o Empoderando Refugiadas. Ficamos apaixonadas por ser tão completo, por acolher em todos os sentidos essas famílias”, comenta Alessandra Amaral, gerente de Endomarketing e Sustentabilidade da Unidas.


O Empoderando Refugiadas é uma iniciativa realizada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Rede Brasil do Pacto Global e ONU Mulheres. O projeto começou suas atividades com o atendimento a mulheres refugiadas em São Paulo e ampliou a abrangência geográfica em 2019, ao chegar em Boa Vista. Em 2020, a 5ª edição do projeto foi realizada apenas no estado de Roraima, com participantes acolhidas temporariamente em abrigos da Operação Acolhida, a resposta humanitária do Governo Federal ao fluxo de venezuelanos e venezuelanas. A Unidas patrocinou a edição que ofereceu 70 vagas de capacitação no curso de Atendimento e Vendas, ministrado pelo Senac RR. Do total, 88% das participantes se formaram e puderam participar de rodadas de entrevistas com as empresas contratantes.


“Temos muitas vagas de trabalho aqui na Unidas. O primeiro passo para a contratação foi conhecer o perfil das participantes para direcioná-las. Mobilizamos os gestores e eles, inclusive, disputaram algumas candidatas que interessaram”, conta Gabriela Camargo, gerente de Atração e Seleção da companhia.


A aceitação e apoio dos gestores na contratação de pessoas refugiadas são fundamentais para o sucesso da iniciativa. A Unidas percebeu isso desde o início e preparou uma série de ações para sensibilizar os times: realizou campanhas de comunicação interna, promoveu a importância da diversidade nos encontros de Líderes e Colaboradores e trabalhou vieses inconscientes entre outros temas de diversidade, na Semana do Conhecimento.


A Unidas contratou duas participantes do Empoderando Refugiadas para trabalharem na loja de Natal (RN) e no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro (RJ). Uma vez formalizada a aprovação das candidatas, o projeto iniciou a etapa de interiorização, que consiste na mudança da refugiada e sua família para a cidade de destino. Com o apoio do ACNUR, Operação Acolhida, AVSI e outras organizações, as famílias recebem a documentação, viagem, moradia, assistência social e auxílio financeiro para a chegada.


Cruziri foi a primeira refugiada contratada pela Unidas por meio do projeto para trabalhar no aeroporto. Formada em Pedagogia, ela foi aprovada também em outros três processos seletivos. Após analisar as propostas recebidas, a venezuelana escolheu iniciar sua carreira no Brasil na equipe da Unidas. Em poucos meses de atuação na empresa, ela pediu transferência para Porto Alegre, onde estaria mais próxima de familiares e amigos compatriotas. A empresa considerou seu bom desempenho, aceitou e apoiou a mudança.


Cruziri foi destaque na campanha de Dia Internacional da Mulher na Unidas em 2021, construída com base em histórias inspiradoras de colaboradoras da empresa. O vídeo da trajetória da venezuelana contabiliza mais de 81 mil visualizações.



Paola foi interiorizada para Natal em fevereiro de 2021. Selecionada para trabalhar na equipe da Unidas Seminovos, na capital potiguar, ela contou com apoio do gestor Marcelo de Macedo Rocha, gerente Comercial de Varejo. Além de apresentá-la à equipe e às práticas da empresa, Marcelo a recepcionou no aeroporto e contribuiu para a integração local da nova funcionária.


“A Paola chamou a atenção nas entrevistas e meu gestor perguntou se eu topava abraçar essa causa. Aceitei e contei do desafio que assumi ao time. Precisava da ajuda deles para que esse projeto de acolhida desse certo. Todos abraçaram a ideia. A Paola é uma guerreira. Nunca tinha trabalhado com venda de veículos e tem se superado a cada dia. A equipe sempre dá o suporte necessário e acredito que em breve ela vai estar segura para conseguir começar e finalizar uma negociação sozinha”, comemora Marcelo.


A integração de Paola em Natal contou ainda com o apoio da Cáritas Arquidiocesana de Caicó, que financiou três meses de aluguel para a venezuelana. Em maio de 2021, Paola fez sua primeira grande venda na empresa e tem se destacado pela dedicação e força de vontade.


“O projeto foi uma das portas que me abriu para que eu pudesse conquistar meus objetivos. Minha experiência neste trabalho tem sido muito boa, abre muitas oportunidades. Meus colegas de trabalho são como uma família. Era o apoio que necessitava. Meu plano para futuro é seguir trabalhando aqui, trazer minha família e minha filha para cá. Não é fácil, mas com esforço e entusiasmo será possível. Nunca pensei que venderia carros e aqui estou. Pouco a pouco vou aprendendo mais”, compartilha Paola.


Paola e gestores da Unidas Seminovos em Natal

Jornada de referência na causa do refúgio


A Unidas confirmou novo patrocínio à 6ª edição do Empoderando Refugiadas, que começou em junho de 2021. A empresa pretende contratar mais mulheres neste ano e ampliar o debate sobre o tema entre gestores e equipes. O engajamento se estende também ao Fórum Empresas com Refugiados, iniciativa lançada em 23 de junho de 2021 pelo ACNUR e Pacto Global para mobilizar e disseminar boas práticas na inclusão do refúgio entre o setor privado brasileiro.


“No início de 2021, divulgamos os compromissos de diversidade para todos os colaboradores e aderimos ao programa Ambição para os ODS. Um dos objetivos trabalhados por nós foi o ODS 5: Equidade de Gênero. Estamos com metas desafiadoras e no caminho certo enquanto organização. O Empoderando Refugiadas vem ao encontro disso tudo”, destaca Alessandra.


De acordo com Fernanda Cotta, especialista em Sustentabilidade da Unidas, a inclusão de pessoas refugiadas no quadro de colaboradores da empresa tem humanizado as equipes e tem englobado novas características aos times cada vez mais diversos. Os impactos positivos destas ações são constatados nas pesquisas internas de engajamento.


"Aqui as pessoas são tratadas com respeito, podem ser elas mesmas. Quando a empresa procura trabalhar com essa diversidade, é possível perceber como o orgulho da equipe interna também cresce. É motivacional”, relata Fernanda.